Homenagem reconhecida

Ao centro, Manuel Nardi, com fundadores do Projeto Manuelzão
Foi negado pela 5ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região o pedido de cessação do uso do nome “Manuelzão” pelo Projeto. Apesar de termos recebido o apoio da esposa, filhas e do próprio Manuel Nardi para a utilização do apelido, o processo foi iniciado por alguns herdeiros do vaqueiro no ano de 2006.

Empregado da família do primo de Guimarães Rosa, “Manuelzão” foi eternizado pela escrita do autor. O Projeto decidiu homenageá-lo devido à sua simplicidade, sabedoria e respeito à natureza com qual desenvolvia o seu trabalho. Manuel Nardi não só emprestou o apelido como participou do desenvolvimento do Projeto. Durante a audiência, o Juiz Federal David Wilson de Abreu Pardo ressaltou que a manutenção do nome e da imagem do “Manuelzão” como título do Projeto “tem o intuito de eternizar seus feitos na memória de seus conterrâneos”.

Fonte: http://www.manuelzao.ufmg.br/comunicacao/noticias/homenagem-reconhecida


Deixe seu comentário