A Serra do Gandarela

A Serra do Gandarela é um santuário natural, localizado a sudeste de Belo Horizonte, na Área de Proteção Ambiental Sul da Região Metropolitana de Belo Horizonte (APA SUL RMBH). Situa-se entre a Serra do Caraça e a Serra da Piedade, e abrange os municípios de Barão de Cocais, Caeté, Santa Bárbara, Rio Acima, Raposos e Itabirito.

Formando um corredor natural com o Caraça, o Gandarela é a última área ainda bem preservada de toda a região – com significativa extensão de Mata Atlântica e Campos Rupestres sobre Cangas. A maior parte da APA SUL, e das serras que guardam rica biodiversidade e 80% dos mananciais da região vem sendo seriamente degradada, principalmente pelas atividades de mineração. Para assegurar sua preservação, um grupo de entidades e movimentos sociais propôs a criação do Parque Nacional do Gandarela. A proposta está em análise no Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e dependerá muito de nosso apoio e adesão para ser efetivada. Saiba por que a Serra do Gandarela precisa ser protegida: Águas A serra do Gandarela é um grande reservatório natural de águas, que serve às bacias do rio das Velhas e São Francisco e do rio Piracicaba e Doce.

É o mais importante manancial a abastecer o Rio das Velhas, acima da captação de água da Copasa em Bela Fama, região que fornece mais de 60% da água consumida por Belo Horizonte e 45% da água que abastece a Região Metropolitana. As águas desta serra servem também aos municípios de Caeté, Barão de Cocais e Santa Bárbara e outros mais populosos como João Monlevade e Ipatinga.

É uma água de alta qualidade, que dispensa o tratamento prévio (água de Classe Especial) ou passa apenas por simples desinfecção (água de Classe I), o que pode garantir à população que a consome um preço mais barato por seu uso. Cangas As cangas ferruginosas são uma couraça, ou capa geológica, normalmente situadas sobre as jazidas de ferro.

Milhões de anos de chuvas sobre as cangas, ocasionaram sua erosão, formando fissuras, dutos, canais e cavernas, compondo um sistema natural de drenagem e filtragem da água, antes que se acumule nas jazidas de ferro.

Por estarem associadas às jazidas de minério de ferro, as cangas estão criticamente ameaçadas. A Serra do Gandarela abriga 40% das cangas ainda preservadas. Trata-se da maior área de cangas preservadas de Minas Gerais. No ambiente da canga, habitam espécies vegetais e animais raras, algumas das quais endêmicas, isto é, só encontradas nas cangas, ou em determinada porção territorial delas – um trecho de uma serra, por exemplo. Algumas dessas espécies são verdadeiros fósseis vivos, de centenas de milhões de anos.

Cavernas Na Serra do Gandarela são encontradas raras cavernas de canga que abrigam espécies únicas, algumas das quais sequer identificadas pela ciência.

Muitas destas espécies animais têm características especiais por sua evolução em ambientes com ausência de luz. Em algumas cavernas há vestígios de sítios arqueológicos. Mais de 100 cavernas já foram registradas, sendo algumas delas caracterizadas como de máxima relevância para preservação.

População local e Sustentabilidade As comunidades mais próximas do Gandarela apresentam uma cultura rica de tradições, inclusive de alternativas de geração de renda que até hoje garantiram a proteção ambiental da região. A criação do Parque Nacional vem potencializar a vocação turística dos municípios ao redor da Serra do Gandarela, todos eles oriundos do Ciclo do Ouro, e portadores de rico patrimônio histórico e cultural.